Meu sonho era morar em um pequeno vilarejo Suíço.

Sonho realizado.

Mas, e aí? Feliz? Satisfeito? Sim! Muito!

Mas, muita gente me questiona, aliás, todo mundo com quem eu converso sobre isso, me pergunta: Por quer você escolheu morar em Uznach?

Para a maior parte das pessoas, morar em um grande centro urbano na Suíça parece o correto. Mas, para um brasileiro, a Suíça não tem grandes centros urbanos, apesar da alta concentração populacional. O cantão (estado) de Zürich inteiro é um pouco maior que a cidade de Curitiba, de onde eu vim, e tem um pouco menos de habitante e, é a maior concentração populacional da Suíça.

Morar em uma pequena cidade da Suíça pode parecer algo bucólico, e é: o som dos sininhos das vacas, ovelhas e cabras, o barulho do vento, do riacho, dos passarinhos, dos trens passando lá longe…

Isso se completa com a dificuldade de acesso às necessidades básicas: mercados, hospitais, médicos, transporte público, escolas…

Por isso todo mundo me pergunta: por que morar nesse fim de mundo?

Bom, fim de mundo ou não, entenda o que é viver em uma pequena cidade Suíça.

Eu escolhi Uznach (5.700 habitantes). Aqui tem um entroncamento ferroviário, na verdade um Y na estrada de ferro. Isso significa que temos trens para todos os lados a cada meia hora em três direções. Quase todos os vilarejos ao redor (com até 1.500 habitantes) se abastecem e usam a estrutura da cidade maior para sua subsistência. Isso também torna a cidade um pequeno centro comercial e de transporte.

O fato de a cidade ter o entroncamento ferroviário, viabiliza para as cidades vizinhas através de uma conexão de ônibus, acesso aos trens. Esse fluxo de pessoas, incentiva o aumento do comércio e transforma a cidade em um pequeno polo comercial e um bom lugar para a instalação da indústria que foge dos grandes e caros centros urbanos.

Uznach, especificamente, fica há uma hora de Zürich, uma hora e quinze minutos de Lucerna e uma hora de Sant Gallen (a cidade capital do nosso cantão), sempre falando de percursos feitos de trem. Também se encontra a 10 minutos de Rapperswil, a maior cidade na nossa região (Linth). Nessas cidades maiores o emprego é muito mais fácil, mas a moradia muito mais cara. Mas, muito mais cara, muito mais.

Assim, o tempo de deslocamento até os grandes centros, acaba sendo compensado pelo custo mais baixo de moradia, preço que se reflete nos supermercados também. Então, além de uma cidade entroncamento para o transporte público, Uznach também é uma cidade moradia. Isso atrai o comércio e a indústria, mas também a prestação de serviços.

Daí que, além do pequeno polo comercial, do pequeno polo industrial, ainda temos um polo de prestções de serviços. Com direito a hospital geral referência na região e clínicas especializadas, advogados, contadores, notários, construtoras, fotógrafos, etc.

Aliás, eu moro no meio da área industrial de Uznach, ou seja, na periferia da cidadezinha. Minha casa fica na última quadra da área industrial, depois começam as fazendas e mais um pouquinho, já estamos na área industrial de Schmerikon, na margem oeste do lago Zürich (Obersee). Moro de frente para 2 galpões industriais: Um depósito e outro uma fábrica de sapatos. De uma lado da casa tem uma empresa de embalagens e do outro uma fábrica de móveis.

Ao todo são 275 empreendimentos registrados no munícipio (fora os galpões ocupados por empresas de outros lugares para baixar seus custos), entre indústria, comércio e prestação de serviços. O que torna a cidade um lugar absolutamente energético e competitivo, com uma média 1 de negócio para cada 20 habitantes registrados na prefeitura.

A escola, além de linda é excelente e referência para a região. Inclusive, para os padrões suíços é uma escola grande. Além de seus complexos para os ensinos primário e secundário, ainda tem estrutura para o ensino médio, biblioteca e área esportiva abertas a comunidade.

Temos um escritório cantonal da central de aconselhamento profissional e escolar de Sant Gallen e uma chamosa cidade antiga, com um casario bonito.

Mas, o meu tesouro é a Haus der Edelstein. A maior loja de pedras preciosas e minerais da Suíça. Vindo do Brasil, pedras precisas como ágata, ametista e cristais não são novidade, mas a loja em si já vale a visita. A fachada é envidraçada com vista para o início das montanhas dos Alpes (15 quilômetros daqui) e, dentro da loja, são 400m² de minerais e pedras preciosas das mais variadas cores, dos mais variados tipos e dos mais variados lugares do mundo, inclusive fósseis e ouro. Uma coleção impressionante.

Essa proximidade das montanhas também é ótima para a vida do dia-a-dia. Apesar de deixar o clima na cidade um pouco mais frio e nublado (numa Suíça fria e nublada), com 30 minutos de trem estamos naquelas paisagens paradisíacas da Suíça. O Wallensee, na minha opinião o mais bonito dos grandes lagos da Suíça, fica a na entrada das montanhas e, há 20 minutos de trem. Quando pensamos naquela infinidade de dias nublados, subir acima dos 1.500 metros é uma boa solução para encontrar o céu bem azul e iluminar o dia.

Temos dois restaurantes muito bons na cidade, que tem dezenas de opções. Um deles é um típico restaurante suíço, ao lado da estação de trens e o outro no Centro Comercial Linth-Park, esse é mais sofisticado e contemporâneo.

Nesse centro comercial, também encontramos uma excelente loja de sapatos cuja a fábrica é aqui em Uznach, minha vizinha. Temos 5 ou seis cafeterias na cidade, algumas charmosas, outras com mercadinhos anexos.

Temos 5 agências bancárias e um banco com sede aqui, o Linth Bank.

Temos um cinema na cidade, o Kino Rex. Só tem uma sala de projeção e charmoso e bem servido, agraga público de toda região.

Então, morar numa cidadezinha Suíça é sim muito bom.

Nos exige um conhecimento básico da língua nativa, exige um desapego de certos valores muito urbanos, como velocidade, ansiedade e pressa. Exige um reencontro com calma e com a sensação de segurança. Exige uma nova relação com o silêncio, pois, depois das 19hs, nada mais acontece, e, depois das 22:30hs, nem trem passa mais.

A cidade é tão limpa e, tão calma, que as cegonhas daqui não migram mais. Elas enfrentam os invernos por aqui. Aliás, a cegonha é o animal símbolo da cidade. Em cada chaminé, topo de árvore, quina de telhado tem um ninho gigante com um casal e seus filhotes.

Estou fazendo uma postagem no meu blog de fotografia, mostrando algumas paisagens, detalhes urbanísticos e da natureza na minha cidadezinha Suíça não deixe de visitar.

My dream was to live in a small Swiss village.

Realized dream.

And so? Happy? Pleased? Yes! A lot!

But many people ask me, in fact, everyone I talk about this, asks me: why did you choose to live in Uznach?

For most people, living in a large urban center in Switzerland seems the right one, the dream. But for a Brazilian, Switzerland does not have large urban centers, despite the high population concentration. The whole canton of Zürich is a little larger than the city of Curitiba, where I came from, and has a little less inhabitant, and it is the largest population concentration in Switzerland.

Living in a small town in Switzerland may seem bucolic, and it is! The sound of the bells of cows, sheep, and goats, the noise of the wind, the creek, the birds, the trains passing far away …

This is complemented by the difficulty of accessing basic necessities: markets, hospitals, doctors, public transportation, schools …

That is why everyone asks me: why do you live in this end of the world?

Good, end of world or not, understand what it is to live in a small Swiss city.

I chose Uznach (5,700 inhabitants). Here’s a junction, actually a Y on the railroad. That means we have trains to every side every half hour in three directions. Almost all surrounding villages (with up to 1,500 inhabitants) are supplied and use the larger city structure for their subsistence. This also makes the city a small shopping and transport center.

The fact that the city has the railway junction, makes possible to the neighboring cities through a bus connection, access to the trains. This influx of people encourages increased commerce and turns the city into a small commercial hub and a good place to set up the industry that runs away from large, expensive urban centers.

Uznach, specifically, is an hour from Zürich, an hour and fifteen minutes from Lucerne and an hour from Sant Gallen (the capital city of our canton), always using the train as reference. It is also 10 minutes from Rapperswil, the largest city in our region (Linth area). In these larger cities (10 thousand to 300 thousand inhabitants), employment is much easier, but the housing is much more expensive. But, much more expensive, much much more.

Thus, the time of travel to the major centers is compensated by the lower cost of housing , which is reflected in supermarkets as well. So in addition to a city junction for public transport, Uznach is also a town dwelling. This attracts commerce and industry, but also the provision of services.

Hence, in addition to the small commercial pole, the small industrial pole, we still have a service pole. With the right to a general hospital, reference in the region, and specialized clinics, lawyers, accountants, notaries, builders, photographers, etc.

I live in the middle of the industrial area of ​​Uznach, that is, on the outskirts of the town. My house is in the last block of the industrial area, then the farms begin and a little bit further, we are already in the industrial area of ​​Schmerikon, on the west bank of Lake Zürich (Obersee). I live in front of 2 industrial warehouses: one warehouse and another a shoe factory. On one side of the house is a packaging company and on the other a furniture factory.

In all, there are 275 enterprises registered in the municipality (outside the sheds occupied by companies from other places to lower their costs), between industry, commerce and service rendering. What makes the city an absolutely energetic and competitive place, with an average of 1 business for every 20 registered inhabitants in the city hall.

The school, besides beautiful, is excellent and reference for the region. Even by Swiss standards is a big school. In addition to its complexes for Primary and Secondary, it still has a structure for high school, library, and sports area open to the community.

In the city, there is an office of the Sant Gallen counseling for professional and school carrier.

But my treasure is the Haus der Edelstein. The largest gem and mineral store in Switzerland. Coming from Brazil, precious stones like agate, amethyst, and crystals are not new, but the store itself is worth the visit. The façade is glazed with a view to the beginning of the mountains of the Alps (15 kilometers from here) and within the store are 400m² of minerals and precious stones of the most varied colors, of the most varied types and of the most varied places in the world, including fossils and gold. An impressive collection.

This proximity to the mountains is also great for life. Despite leaving the climate in the city a little colder and cloudy (in a cold and cloudy Switzerland), with 30 minutes by train we are in those paradisiacal landscapes of Switzerland. The Wallensee, in my opinion, the most beautiful of the great lakes of Switzerland, is at the entrance of the mountains and there are 20 minutes by train. When we think of that multitude of overcast days, climbing above 1,500 meters is a good solution to find the blue sky and brighten the day.

We have two very good restaurants in town. A typical Swiss, next to the station and one at the Linth-Park Shopping Center, more upscale and contemporary. There, we also find an excellent shoe store whose factory is here in Uznach. We have 5 or 6 coffee shops, some charming, some with adjoining markets. We have 5 bank branches and a bank based here, Linth Bank.

We have a movie theater in town, Kino Rex. It only has a projection room and is charming and well served.

So living in a small town in Switzerland is very good. It requires a basic knowledge of the native language, it requires a detachment from certain very urban values ​​such as speed, anxiety, and haste. It demands a reencounter with calm and with the sense of security. It demands a new relationship with the silence, because, after 7:00 pm, nothing else happens, and after 10:30 pm, no more train passes.

The city is so clean and so calm, that the storks here do not migrate anymore. They face the winters here. Incidentally, the stork is the animal symbol of the city. In each chimney, treetop, the rooftop has a giant nest with a couple and their cubs.

I am making a post in my photography blog, showing some landscapes, urban and nature details in my little town Switzerland do not miss to visit.